História

Ao final da década de setenta, Irecê vivia o início do seu progresso. Não apenas a cidade, mas toda a microrregião estavam ganhando, gradativamente, significativa representatividade no Estado da Bahia. A agricultura despontava, e a região logo passou a ser conhecida como “Terra do Feijão”. O comércio também passou a conhecer uma demanda muito maior e logo passou a despertar a atenção de empresários de todo o Estado. Na política, passou a influir de forma decisiva.

Porém, era preciso investir na comunicação da região. Fazia-se necessário levar informação e entretenimento às diversas camadas e classes sociais, localizadas não apenas na cidade, mas também às famílias residentes na zona rural, onde o acesso à informação era ainda mais difícil. Uma comunicação que falasse dos seus interesses, dos seus anseios e necessidades, que representasse o espírito do povo de Irecê e também do homem do campo.

Foi quando o então deputado estadual Nobelino Dourado Filho, visando fomentar a integração da região de Irecê ao Estado da Bahia, vislumbrou a criação daquela que seria a primeira emissora de rádio da região.

Muitas foram as barreiras enfrentadas por Nobelino Dourado Filho e a Rádio Regional de Irecê naquela época. Além dos obstáculos de ordem técnica, devido à dificuldade de acesso aos caríssimos equipamentos necessários para a montagem do parque de transmissão, havia ainda a carência de profissionais com conhecimento em radialismo na região. A solução não poderia ser outra. Grande parte dos locutores acabou aprendendo o manuseio e dinâmica do rádio no dia a dia, de maneira quase empírica.

A Rádio Regional de Irecê foi ar pela primeira vez no dia 15 de maio de 1983. Permaneceu em período experimental por seis meses, com programação apenas musical, conforme determinava a legislação. Somente após este período, estreou definitivamente com a sua grade de atrações. A primeira transmissão oficial aconteceu com Mário Almir como locutor apresentando o programa “Dedicatórias Musicais”. Participaram também do primeiro programa Emanuel Buga e Jaílton Pincha como operadores de estúdio, Quinzinho como operador do transmissor e Lindinei Porto como recepcionista. O diretor geral era Antônio Sanches. A primeira música executada oficialmente, nesta primeira transmissão, foi “Lady Laura” de Roberto Carlos. Este feito representa a fundação e transmissão da primeira emissora de rádio da região de Irecê e uma das primeiras do interior da Bahia.

O resultado desta ousada iniciativa logo começou a ser percebido. A população passou a receber, em suas casas, diariamente, todo tipo de informação e entretenimento. Em uma época em que o acesso aos meios de comunicação era demasiadamente escasso e seu conteúdo totalmente voltado para acontecimentos do eixo- Rio São Paulo, a população passou a se informar sobre tudo que acontecia na região. Além disso, houve a possibilidade de incentivar artistas regionais, que até então não dispunham de um meio para veicular os seus trabalhos.

Passadas três décadas, a Rádio Regional de Irecê é referência da comunicação do Estado da Bahia. Dispõe de modernos estúdios e equipamento de ponta para levar aos seus ouvintes, através da freqüência de 540 KHZ, o mais alto e puro som em amplitude modulada. Além disso, possui toda a sua programação transmitida em formato digital através do seu site.

Atualmente, a Rádio Regional de Irecê, juntamente com a Rádio Caraíbas FM e a Áudio Bahia Produções e Clipagem, integra a Rede Caraíbas de Comunicação, sendo administrada pelo filho de Nobelino Dourado Filho, o advogado Ângelo Fontes Dourado.



 Entre em contato

Rádio Regional AM
Praça Mário Dourado, 78 - Centro - Irecê-Ba
CEP: 44900-000
74 3641-3717
comercial@redecaraibas.com.br